Um homem de 20 anos suspeito de matar Joana Silva Souza, de 37 anos, foi preso pela Polícia Civil na manhã desta terça-feira (11), em Anápolis. De acordo com o Grupo de Investigação de Homicídios (GIH), a vítima era garota de programa e teria sido morta por engano.

O crime aconteceu em 13 de dezembro de 2021 no bairro Calixtolândia. O delegado Wlisses Valentim, titular do GIH, afirmou que o homem confessou ter matado a vítima utilizando uma arma de fogo.

Câmeras de segurança flagraram a confusão, a invasão do suspeito no local, uma funcionária sendo rendida e o registro da fuga. As imagens foram divulgadas pelo GIH.

Suspeito comemorava o aniversário no prostíbulo e houve uma briga com travestis

Segundo as investigações, o suposto autor passou a noite do dia 12 para o dia 13 de dezembro comemorando seu aniversário no local. Ele estava acompanhado de amigos e um irmão. No amanhecer, o familiar do suspeito ficou ferido no pescoço após uma briga generalizada dos jovens com um grupo de travestis.

“Bastante embriagado e revoltado com o acontecido, o suspeito foi até sua residência, pegou uma arma, retornou ao prostíbulo e invadiu o local rendendo uma funcionária. No afã de encontrar quem havia ferido seu irmão, ele se deparou com Joana, atingindo-a no peito com um tiro fatal”, explica o delegado.

Joana foi morta por engano

De acordo com o delegado, a garota de programa que foi assassinada não tinha ligação com a briga dos jovens com as travestis.

“Câmeras de vigilância flagraram a confusão e a ação do suposto autor. A moça baleada nada tinha a ver com a briga anterior”, afirma Wlisses.

“Durante o interrogatório, o jovem confessou a prática do crime”, concluiu.

Segundo a Polícia Civil, P.V.O.S. de 20 anos, está recolhido no presídio local à disposição do Poder Judiciário.