As polícia militares do Distrito Federal (PMDF) e do Estado de Goiás (PMGO) prenderam, na tarde desta terça-feira (9/11), quatro bandidos responsáveis por pelo menos dois assaltos no Distrito Federal. O primeiro crime aconteceu na sexta-feira (5/11), em Ceilândia. O segundo, na manhã desta terça, em Samambaia.

A identidade e a idade dos assaltantes não foi divulgada pela polícia. Segundo um soldado da PMGO que participou da detenção, os homens praticaram roubo com restrição de liberdade na manhã desta terça.

Depois do roubo, a PMDF entrou em contato com a PMGO. “A PMDF entrou em contato com as vítimas e descobriu a provável localização desses indivíduos e passou para gente. Nós fizemos um cerco nesse endereço, aqui em Águas Lindas. Eles viram a movimentação policial e tentaram pular os muros. Nesta ação de pular os muros, a gente conseguiu deter”, explicou o policial.

Com os bandidos foram encontrados diversos eletrodomésticos, eletroeletrônicos e pertences pessoais, como cartões de crédito e celulares. O carro usado no crime foi adquirido no roubo de sexta-feira.

O assalto desta terça ocorreu quando o dono da casa saía para ir ao trabalho. Ele conta que a abordagem foi truculenta. “Eu fui tirar o carro da garagem, quando dei ré e fui abordado por um meliante armado, ele colocou a arma na minha cabeça”, explica.

O bandido levou o morador para dentro da casa, onde estava a esposa dele e os dois foram feitos reféns e amarrados no banheiro. “Reviraram toda a nossa casa, eu cheguei a levar uma coronhada, nos chamavam de vagabundos, xingavam”, narra o morador de Samambaia. Ainda segundo a vítima, toda a ação durou cerca de 15 minutos.

“Eles não levaram nosso carro porque o motor não pegou, mas eles estavam com outro que também era fruto de roubo”, afirmou o brasiliense. O carro usado pelos bandidos no roubo foi resgatado pelas moradoras na delegacia de Águas Lindas.

“Minha mãe estava lavando o carro na porta da casa quando apareceram três bandidos e colocaram a arma na cabeça, pegaram a chave e saíram”, contou a filha da vítima à reportagem, sobre o roubo de sexta. “Eles só mandaram ela ficar calada, com a arma na cabeça”, resumiu a mulher sobre a ação dos bandidos.