Em três anos, Unidades de Terapia Intensiva saltam de 254, em 2019, para 660 leitos em todo Estado, mostra balanço do antes e agora. Obras paralisadas são concluídas e entregues à população, como Hospital do Centro-Norte Goiano, em Uruaçu, e policlínicas regionais em Posse, Quirinópolis e Goianésia. Outras três serão entregues na cidade de Goiás, Formosa e São Luís de Montes Belos. Vem aí hospitais estaduais de Águas Lindas de Goiás (licitação retomada) e da Criança e do Adolescente (Hecad), em Goiânia. Dívidas de 13 meses de contrapartidas para municípios foram assumidas e parceladas para quitação até final deste ano. Outros R$ 643,6 milhões foram pagos sem atraso para custeio de programas e ações. “O dinheiro, quando não é roubado, chega ao cidadão, as pessoas vivem dignamente”, destaca governador.

Em três anos, o governador Ronaldo Caiado alcançou resultados positivos ao regionalizar os serviços de saúde, garantir eficiência na gestão de recursos e ampliar a estrutura hospitalar. Um dos destaques é o aumento no número de Unidades Terapia Intensiva (UTIs), que subiu de 254 instaladas em apenas três municípios, em 2019, para 660 leitos, com benefício direto a 20 municípios. Além disso, a atual condução administrativa rompeu com 13 meses de dívidas com os municípios, um débito assumido de R$ 138,6 milhões, e assegurou o pagamento em dia de R$ 643,6 milhões para custeio de programas na área.

A retomada de obras paralisadas deu novo ritmo à estruturação da rede de atendimento médico estadual. Três policlínicas já foram inauguradas e outras três estão em fase de conclusão. O Hospital do Centro-Norte Goiano, em Uruaçu, foi entregue à população após anos de espera, e a administração estadual retomou a licitação do Hospital Estadual de Águas Lindas de Goiás. A assistência própria foi descentralizada. Passou de 18 unidades concentradas na Região MNa Saúde, Caiado quita dívidas deixadas por gestões anteriores, inaugura policlínicas e regionaliza atendimento: leitos de UTI que estavam jogados.

Na Saúde, Caiado quita dívidas deixadas por gestões anteriores, inaugura policlínicas e regionaliza atendimento: leitos de UTI que estavam concentrados em três municípios, hoje beneficiam 20 localidades.