Uma grávida, que não teve a identidade divulgada, denunciou à Polícia Civil de Goiás que estava sofrendo maus-tratos e em cárcere privado em um convento de Anápolis, a 55 quilômetros da capital goiana. A investigação é sigilosa e não divulgou o nome do local alvo das acusações.

A Polícia Civil confirmou que a gestante conseguiu fugir do convento e fazer a denúncia na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) na cidade. Os tipos de maus-tratos que ela denunciou não foram divulgados, mas a corporação investiga como eram as condições de vida da mulher no local.

Os investigadores também querem confirmar há quanto tempo a gestante estava no local e por quais motivos teve que ir para lá.

A Patrulha Maria da Penha, da Polícia Militar, também ajudou na assistência à mulher, levando-a para um abrigo onde ela pudesse ficar em segurança. O local para onde ela foi encaminhada também não foi divulgado.

 

 

 

Fonte: Metrópoles