O governador de Goiás Ronaldo Caiado (DEM) defendeu “muita cautela” em medidas que desobriguem o uso de máscara facial, por conta da pandemia do coronavírus. Ele falou sobre o assunto à imprensa durante entrega de equipamentos ao Hospital Estadual Dr. Alberto Rassi (HGG), na manhã desta segunda-feira (18/10).

 

“Nós não temos pressa para dizer que somos aí o primeiro, o segundo ou o terceiro lugar (a desobrigar máscara). Ninguém está disputando pole positivo nesse assunto, estamos disputando segurança para a população. No momento que chegarmos a esse nível de segurança, essas medidas serão tomadas”, afirmou Caiado.

 

Prazo?

 

Ao ser questionado sobre um possível prazo para desobrigar a máscara, o governador foi breve: “Eu tenho muita cautela nisso”. Durante sua fala no auditório do HGG, Caiado ainda reforçou a necessidade de trabalhar no convencimento das pessoas que ainda não se vacinaram contra a Covid-19.

Alguns governadores têm defendido a desobrigação do uso de máscara e sugerido prazos para isso. O Governo do Mato Grosso do Sul (MS) estuda a medida para um mês ou semanas. Já o Governo de Minas Gerais prevê a desobrigação em dezembro. Na cidade do Rio de Janeiro, o prefeito Eduardo Paes (PSD) chegou a afirmar que a máscara será optativa para ambientes ao ar livre ainda neste mês de outubro.

 

Bolsonaro e Queiroga

 

O próprio presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), e o ministro da saúde, Marcelo Queiroga, são contra o uso obrigatório da proteção. Um estudo federal está sendo elaborado para indicar o momento seguro de desobrigar o uso de máscara.

Caiado esteve no HGG nesta sexta para entregar cerca de R$ 16 milhões em equipamentos médicos e para comemorar o Dia do Médico. O governador é médico. Entre os equipamentos entregues estão um aparelho de ressonância nuclear magnética, ultra-sons portáteis, arcos cirúrgicos e monitores multiparamétricos.

 

 

Fonte: Metrópoles